Nasci na pobreza me criei sem vicio
Aprendi oficio e fui trabalhar
Enfrentando a luta no duro batente
Sempre sorridente e sem reclamar.
Com nove anos perdi o meu pai
E não esqueço mais quando ele morreu.
Embora esse tempo eu fosse criança
Mas trago ainda na minha lembrança
Todos os conselhos que ele me deu

Tudo que era bom ele me ensinou
E sempre mostrou qual era o caminho
Dizia o filho que o mundo é enganoso
Eu sei que é penoso crescer sem carinho.
Porem quando forem homem formado
Recorde o passado e o que eu digo agora
Seja obidiente e a lei do senhor
Enfrente a vida com fé e amor
Estabdo com deus alcançara a vitória

Hoje quando vejo meu filho brincando
Ao lhe conselhos o meu pranto cai
No mundo de sonhos vivo a meditar
Estou no lugar do meu finado pai.
Então me desperto pra realidade
Lembro com saudade que o tempo passou
E assim a vida vai continuando
Os meus cabelos estão branqueando
Daqui alguns anos já serei avô.

Vídeo incorreto?