Eu não sinto nada
Mas pressinto que um jorro escapa
A magia de minha alma apagada
Ela na rua deitada
Algumas sirenes distantes
Resonando na noite esquecidas.

Veloz cavalo de aço
A gasolina Meu sangue Seu corpo
Misturados neste solo.

O cinza desta estrada desenha os seus cabelos.

E a luz se apagou. E a voz se apagou.

Se apagou a luz, se foi
Uma lágrima perdida, lutei buscando uma saida
Para escutar seu coração
Minha mãos estão confusas, não me mantenho em pé
Não chego até a menina da minha vida.

Por quê não fala? Não entendo?
A um momento você estava dizendo:
- Não corras tanto que eu tenho medo
A ambulancia voava
Entre a vida e a morte, pensava:
- Sentia falta de sua casa.
Sorriso amargo nesta cama
Imagina que é uma Diana
Com todas estas agulhas cravadas.

A bruma sobre a sorte, já fez sentir-se mais forte
Entre a vida e a morte se pensa tão diferente.

E a luz se apagou. E a voz se apagou.

Se apagou a luz, se foi
Se fecharam as cortinas
E escuton passar a vida e o
Suave bater de um coração
A indirecta comprendida
Uma dura despedida da
Menina da minha vida...

Vídeo incorreto?