Quem me falou que eu era menino e sem rima
Agora se arrependeu
Agora eu canto com a minha viola
E a menina que chora
Largou os braços dele pelo riso meu

Quem me dizia que a poesia era só brincadeira
Nunca sonhou com abraços na beira do mar
Nunca chamou a lua de companheira
Nem nunca tomou sorvete em sessão matinal

Quem me falou que eu era menino e sem rima
Agora se arrependeu
Agora eu canto com a minha viola
E tem gente que implora
Algum fio de cabelo foto ou beijo meu

Quem me dizia "a vida de artista é sem eira nem beira"
Agora palpita de tanto aplaudir
Vamos fazer de conta "foi tudo besteira"
Pois no final de tudo a arte é sorrir