Ei mulher, o teu abraço me faz mó falta no final de
tarde sorrindo chegando em casa,
Cansada, cansada, éé, mas sempre firme, guerreira
nordestina, não, isso não é filme
É a descrição de uma mulher de valor, que partiu e me
deixou, e não mais voltou
Que despedaçou o meu coração, mostrou que homem também
chora e teme a solidão.
Pra você ver,nada pude fazer pra impedir, orei,
implorei, pro senhor me ouvir,
Não deu, agora a cara é prosseguir, só cai da árvore
uma folha se Deus permitir.
Difícil não é saber que você vai morrer, difícil é
aceitar que não vai mais ver
Aquela mulher que você mais ama, deitar, levantar e
ver vazia a sua cama.
Chegar de manhã sem ela na sala, esperando você voltar
sem dormir, preocupada.
Te dar carinho como fosse uma criança, te depositar
todo amor e esperança.
Facadas são lágrimas que vem de madrugada, é mil grau,
mil grau, mas aí, pura calma.
Não posso fraquejar muito menos desistir, tenho que
acreditar que ela tá melhor que aqui.
EU só queria poder voltar no tempo e viver
intensamente com ela cada momento.
Poder fazer tudo aquilo que não fiz irmão, eu só
queria um final feliz então.
Nem tudo é do jeito que se espera, mas a fé é o que me
mantém de pé nessa terra.
Deus faz um favor pro pecador aqui presente, diz pra
minha mãe que os filhos dela segue em frente.

Mulher, onde estás, mostra-me o caminho, pra que eu
possa te encontrar no meu último suspiro.
A saudade enfraquece o mais forte coração, e
sensibiliza o mais feroz dos leão, te vejo nos meus
sonhos, guardo nas lembranças, onde quer que eu vá,
sei que me acompanha.
Fiz pouco por você que por mim fez de tudo, preparou,
lapidou mais um homem pro mundo.
Mulher te admiro porque nunca desistiu, mesmo na
separação foi firme, não caiu.
Conquistou respeito, conquistou seu espaço, de cabeça
erguida sem temer o fracasso.
Mó referência pra mim você é, o firmamento que
sustenta minha fé.
Mulher, exemplo de coragem e conquista, mulher
brasileira, mãe nordestina.
É, é muito mais que as garotas de Ipanema, é, é muito
mais que as estrelas de cinema.
Calçada da fama irmão ainda é pouco, pras mães do
Brasil, da tribo do povo
Seja ela doméstica, dona de casa, vendedora,
promotora, gari, secretária,
Produtora, cantora, gerente, operária ou solitária
numa cela trancada.
Salve as mães e o futuro do vosso ventre, salve as
mães valentes que segue em frente.
DE coração dedico essa canção a todas as mães desse
louco mundão.

Créditos: Fábio Henrique Costa de Oliveira

Vídeo incorreto?