Não dá pra esquecer
No final da tarde te esperando pra te abraçar no quintal
Ao anoitecer, a lamparina acesa
Ajudava a perceber o seu rosto cansado
Era duro o trabalho
Ele encarava qualquer coisa pra me alimentar

Mesmo não sabendo escrever
Pai, o seu beabá
Foi o ensino que a escola não poderia dar
No tempo de boia fria
Vi tristeza e alegria
Caminhando lado a lado, era assim que eu crescia
Em sua pele tão morena, quando o suor descia
Era pra trazer para casa o nosso pão de cada dia

O tempo passou, a história se inverteu
Mas ela não mudou, oh meu pai!
Hoje é o senhor que conta as horas e os minutos
Pra me ver chegar
Como me abraçou, hoje vou lhe abraçar
Como o senhor cuidou de mim, de ti eu vou cuidar

Vídeo incorreto?