Quando a saudade se achega
E adentra em meu rancho solidão
Encilho o mate e convido
Pra vim conversar comigo do coração

Talvez por ela chegar e assim me encontrar
De alma quieta e serena
Insiste em me castigar
Trazendo junto consigo as penas

É sempre alento pra alma
Essas lembranças de outrora
Que chegam nas horas calmas
Depois se vão vida a fora

Alcanço um mate pra ela
Que mansa vem me aquecer
Assim me agrada escutar
O que ela tem pra dizer...

Calando fundo no peito
Destemperando a emoção
Essa saudade maleva
Carrega de brasas meu coração

Assim seguimos mateando
De mano, parceiros... inda solito
Ela conversa comigo, me sussurando no ouvido
Aconselhando aos pouquitos

A "bixa" é mesmo sábia, tem toda uma lábia
É só saber lhe ouvir
Pois ela traz do passado
Conseqüências ao porvir

Mostrando que a experiência
Ajuda muito na vida
Deixando rastros na estrada
Cicatrizando as feridas

Vídeo incorreto?