(Citação)

Encontrei o corpo do meu filho, com a caneta na mão e o caderno aberto nessa página.
Não sabia que ele fazia versos, poesia.

(Verso)

Escrevo sobre meu tempo no traçar da mão
Fruto de algum momento, linha sem contradição
Sonho incluído, pessimismo excluído
Sei o que não é preciso na busca do meu sentido
Coloco o mundo em ordem no meu pensamento
Vou, vivendo e morrendo me recriando a cada momento
Igual a rima que eu erro na folha que eu amasso
Parte de mim que vou matando a cada pedaço
Mais, recomeço e a mesma eu refaço
Dando vida ao meu ser de volta ao compasso
Barulho no fone de ouvido e silêncio na rua
Completamente envolvido e já são mais de duas
Na ambição de alcançar os sonhos que eu persigo
Não podem ultrapassar os valores que eu sigo
Não podem se contradizer com o que eu digo
Vão ver eu vencer junto com meus amigos

(Refrão)

Essas linhas me ensinaram a viver
Na rua pensando em você
Hoje é dia de escrever... (Ei)
Não vai esquecer, sei a razão do ser...

(Verso)

Pago barato em meus cadernos faço rimas sem preço
Simples e de coração assim eu ti ofereço
A cada folha branca um recomeço
Não questão de dinheiro é questão de bom senso
Eu trago a vida oferecida em forma de rima
Desconfiança do mano que vende na esquina
Minha vida é música alta, dinheiro em falta
Mais sempre andei no meio de quem assalta
Na pauta o controle na palma da mão
Tá trás paz pra alma e o coração
Rapaz capaz de sair da ilusão
Ah! Faz mais pra vencer na missão
O tempo corre e a gente anda aqui
Cresci e o que eu vi me fez MC
Enquanto o vidro ainda cortar a minha pele
Enquanto o vento ainda tocar minha pele
Enquanto a música arrepia minha pele
Portanto, cada vez mais AXL

(Refrão)

(Citação)

É... Você anota ai no caderninho que é pra depois não esquecer, né? Tá certo...

Vídeo incorreto?