Quem me vê cantando neste meu país
Vai dizer pro povo que eu sou bem feliz
Tá na minha estampa na minha origem campeira
Levo a vida abraçado nesta gaita galponeira

Dê-lhe gaita e dê-lhe fole vai tocando sem parar
Nesta gaita galponeira vai até o dia clarear
Dê-lhe gaita e dê-lhe fole vai tocando sem parar
Nesta gaita galponeira vai até o dia clarear

Quando o som se vai, fica na lembrança
Sempre tem surungo esperando a dança
Sempre tem romance onde tem esta vaneira
Quantos sonhos na garupa
nos fandangos da fronteira

Minha gaita velha tão soluça e vão
Tem a voz topado e a alma de galpão
Choro apaixonado que só ela é que tem
Parece que traz regalo
àquela que lhe quer bem

Vídeo incorreto?