Choro de 38

Nas ruas dos moleques,
mendigos e malandros são alvos
do sucesso da lágrima
que cheira pólvora.
Vitimas da agonia
do grito.

Algozes da parafernália
milicista do capitalismo,
Aos gritos e batuques
da macumba do individuo,
mais próxima,
Fazem-se felizes quando comem
as migalhas da hipocrisia.

Chora na falta
do estampido,
Chora vitima,
mulher de bandido.

Ama a arma da armação,
Quadrilha de vida,
Se faz a benção.

Os santos usam fardas e drogas batizadas,
Na disputa do tráfico,
O que sobrevive é o fracasso.

Granada, grana e gana,
Resultados de tiros,
Sangra.

Na falta do choro...
Chora na falta
do estampido,
Chora vitima,
mulher de bandido.

Vídeo incorreto?