Sempre consumindo e nunca saciado, insatisfeito
Em carregar as asas que lhe foram dadas para voar
Valores eternos se perdem em meio a status mundanos,
E é isso que nos tornamos?

E já não resta
Nada para saciar
A sua ganância

E o que restava
A tempos se esgotou
E sua ganância
Te matou

Sempre consumindo e nunca saciado
Sempre insatisfeito oh
Sempre consumindo e nunca saciado

E o tempo corre

Seu tempo é curto e um erro mata
Espero que faça a escolha exata

Sem errar, evolua e suas correntes destrua
Sem errar, evolua e suas correntes destrua

Destrua o que te prende
Destrua o que te prende

Destrua
Destrua

Chega de consumir e nunca saciar
Olhe ao seu redor
Reclama do ouro
Mas não conhece o bronze

E quanto mais se afunda
Em sua poça de lama
Sua consciência
Não mais te chama

O seu caráter
Se dissipa
De braços abertos
Um ataque suicida

Caminhou sozinho
Ao abismo
E sozinho
Correrá o risco

Sozinho correrá o risco
Sozinho arcara com as consequências

Vídeo incorreto?