Meu grande amor somos dois barcos tristes,
Que navegamos sempre em ondas fortes,
Sempre segumos rumos diferentes,
Um vai pro sul e o outro vai pro norte,

Pra onde vamos nao existe porto,
Pro mar da vida somos clandestinos,
Dois condenados a morrer de amor,
Na tempestade do fatal destino,

Estou perdido e voce tambem,
Estamos os dois a chorar de saudade,
Nao adinata navegar pra longe,
Se está tao perto a felicidade,

Estamos presos pelo compromisso,
que a propria honra obriga cumprir,
Mas, que os nossos coraçoes desejam,
Os nossos lábios nao podem pedir,

Nas minhas noites de cruel revolta,
Sinto por dentro um coraçao que chora,
Mas, o relogio do tempo marcou,
O nosso encontro tao fora de hora,

Me vi perdido pelo mar da vida,
sempre enfrentando a onda cruel,
Jamais iremos alcançar o porto,
Porque o nosso barco e' de papel...

Jamais iremos alcançar o porto,
Porque o nosso barco e' de papel...

Vídeo incorreto?