Você não presta, você sempre foi ruim
Você não presta
E o gosto da sua festa qualquer hora chega ao fim
Você não presta, você sempre foi ruim
Você não presta
E aproveite o que lhe resta e veja se esquece de mim

Você só faz o que lhe dá na telha
Me aporrinha, me empentelha
Enche o saco, home vai dar
Você só gosta do que é dos "ôto"
Sai-te rato de esgoto, coisa ruim vai te lascar
Você é chato, é parasita, é sanguessuga
Quando lava não enxuga e quando enxuga é pra quebrar
Você é mala, é mal-assombro em cemitério
Ninguém mais te leva a sério,
Ninguém quer mais te agüentar.

Você não presta, você sempre foi ruim...

Você é engasgo, é diarréia, é panariço
Não dá conta do serviço, infeliz inda é ateu
É uma topada na unha encravada
Toma tudo e não dá nada e carregou o que era meu
É mau olhado, é marimbondo quando ferra
Não vale o que o gato enterra
Nem o que o urubu comeu
Sua batata tá assando e eu acho é pouco
Que tu se estrompe num tôco
E ache a tampa do que é seu

Você não presta, você sempre foi ruim...

Vídeo incorreto?