Tudo muda ao teu redor
Tudo que era certo, sólido
Dissolve, desaba, dilui, desmancha no ar
Vai se embora, evapora, o que era certo, líquido

Não olha agora, não
Segue a tua cegueira
Estamos no centro, por dentro de tudo
No olho do furacão

No moinho, giram as pás e o tempo vira pó
De grão em grão, por entre os dedos, tudo parece escapar
Tudo gira ao teu redor
E derruba, destroça, destróI, corróI a tua mente

Não olha agora, não
Segue a tua cegueira
Estamos no centro, por dentro de tudo
No olho do furacão

Não olha agora, não
Segue a tua cegueira
Estamos no centro, de tudo que gira
Na mira do canhão

Se for parar pra pensar
Não vai sair do lugar
Não tem parada errada, não
No olho do furacão

Vídeo incorreto?