Papai me disse que eu perdi minha vergonha
Uma palavra que doeu meu coração
Só por eu estar controlando uma menina
A meia-noite encostadinho no portão
Ele falou que eu cometi um grande erro
Ai é um pecado que nem Deus não dá o perdão
Eu fiquei triste aborrecido nessa hora
Eu chorei tanto mais não dei demonstração.

No outro dia eu peguei as minhas malas
E brevemente fui parar la na estação
Comprei o passe e sentei na plataforma
Mais o meu plano já não tava muito bão
O meu destino era só de sentar praça
Fui em São Paulo me apresentei no batalhão
Em poucos dias eu já estava incorporado
Fazendo marcha em cima do meu alazão

Eu passei pronto fiquei um praça entusiasmado
Foi ordenança do tenente-capitão
Ai eu só ia no correio buscá carta
Mais os pracinha não achava muito bom
Desarranchei e despedi dos meus amigos
Praqueles réco nem num dei satisfação
Meu ordenado era pouco nesse tempo
Ainda sobrava para mim pagar pensão.

O pensionista tinha uma filha linda
Uma morena delicada de feição
Eu custei muito mais controlei essa menina
Mais o pai dela era bravo que nem leão
O véio quando soube do namoro
Um homem ativo nem num deu satisfação
Uma bela noite eu roubei essa menina
Casei com ela e fui morar la no sertão.

Vídeo incorreto?