Uma vez aberto


Uma vez eu estava inteiro e com um coração viajante
Eu amei esse cara doce
Como uma ficção correndo em seu leito
Surge como aplauso na minha cabeça
E na meia-luz onde nós dois ficamos juntos
Está é a meia-luz, me veja como eu sou
Como o oceano, sempre apaixonado pela lua
Está transbordando agora, dentro de você.
Voamos direito sobre as mentes de tantos em sofrimento
Nós somos o sorriso de luz que lhes traz a chuva.
À meia-luz onde nós dois estamos
À meia-luz que você me viu como eu sou, eu sou uma ferrovia
Abandonado, com o pôr-do-sol, esquecendo que alguma vez eu aconteci
Que alguma vez eu aconteci