Vou contar uma história triste que jamais no mundo existe uma dor assim igual,
O amor de mãe é maior que o céu, que as nuvens, que o sol, maior que a terra, e o mar
Era uma pobre velhinha, que por consolo só tinha um filho por sua sorte
Era o único que pra ela, pudesse acender uma vela na hora de sua morte

Quando lhe deram o recado que o filho foi convocado pra partir, pra ir pra guerra
Devia seguir o quanto antes, pra bem longe, bem distante pra morrer lá noutras terras
Quanto chorou a velhinha, olhando no mar sozinha, o navio desaparecer
Que levou seu coração, deixando-a na solidão pra de saudade morrer

E noite e dia lá nos pés do altar, ela rezava e chorando pedia
Que protegesse seu filho querido, trouxesse ainda aos seus braço um dia
Lá nas trincheiras enfrentando a morte, quando uma bala varô o coração
Sobre seu sangue ele morreu chorando, com o retratinho de sua mãe na mão.

E quando um dia terminou a guerra e os combatentes regressavam ao lar
No cais do porto entre a multidão, ela esperava seu filho voltar
E noite e dia lá no cais do porto, pobre velhinha seu filho esperou
E o mar imenso nunca deu notícia, seu filho amado nunca mais voltou.

Lá na europa entre um cemitério, só uma cruz velha vela o corpo seu
Longe da pátria e da mãe querida, lutando sempre como herói morreu
Pobre velhinha foi morrendo aos poucos, chorando sempre pouco mais viveu
Dois corações que sepultados longe, depois da morte se encontrou no céu.

Vídeo incorreto?