Fim do começo, começo do fim, um ciclo
Se cada dia é recomeço pra mim, reciclo
Se eu for pensar que eu to mais perto do fim, eu fico
Deixa eu tentar o que é mais certo pra mim, indico
Faço o mesmo (mais)
Faça você mesmo
Sem culpar ninguém, com foco, nunca a esmo
Ainda tenho o mesmo entusiasmo do início
Se cada show termina num espasmo esse é o indício
De que é isso, feito pra durar como os antigos
Nada de ser confeito pra enfeitar como os artigos
Não rejeito o rótulo pois sei que eles não grudam
Na pele de teflon, na tinta da caneta
É detefon matando insetos que incomodam e nunca mudam
São zum zum zum, rodeando quem é luz
Aos que fazem jus, saúdo, sigamos
Na busca pelo nosso, o justo, digamos, ligamos

Scratchs
[ do fim ao princípio ]
Prá circular além dos limites do município
Eu sigo, no ciclo
Prossigo, no ciclo
Eu sigo, no ciclo
Prossigo, no ciclo...no ciclo!

O mundo gira e quem vacila roda
Qualquer deslize causa crise, "Take it easy brother"
Quem se incomoda vai avante ou vai dizer "Tá foda!"
Quem faz história pensa adiante ou só inventa moda ( pra refletir né?)
Não vai querer medir, e nem se repetir, a mesma ladainha, dejavú de tititi
Então não vem pagar de cão se for correr atrás do próprio rabo
Quem é da selva ta ligado quem é bicho "brabu"
Camaleão tem língua grande e vive camuflado
Tem rei leão que é gato "véio" num sofá mofado
Deixa pensar que é trono, deixa querer ser dono
Pode gastar seu bônus que não vai tirar meu sono
Fecho no lucro e me desculpe se eu não te escutar
Mais minha trupe não pirou numa de disputar
Licença aqui, vou retomar as atividades
Colocar meu universo em rotatividade no ciclo

Scratchs
[ do fim ao princípio ]
Prá circular além dos limites do município
Eu sigo, no ciclo
Prossigo, no ciclo
Eu sigo, no ciclo
Prossigo, no ciclo...no ciclo!

Scratchs...

Vídeo incorreto?