Para, pará, paruê
Para, pará, paruá
Para, pará, paruê
Paruê, paruê, paruê, paruá

Eu queria que chovesse
Três noites sem parar
Pra ver nessa trovoada
Nosso amor recomeçar

Pois a seca arrasou
Com a nossa união
Vim embora pra São Paulo
Trabalhar na construção

Morena vou lhe pedir
Nesse som, nesse baião
Que esses olhos de menina
Brilhem sempre no Sertão

O verde queima de sede
No calor desse verão
A cacimba é teu beijo
Que refresca essa paixão

Para, pará, paruê...

Eu queria que chovesse
Três noites sem parar
Pra ver nessa trovoada
Nosso amor recomeçar

A saudade não tem rua
Nem cidade, nem nação
Tanto faz ser rico ou pobre
Operário ou Patrão

Machucando qualquer peito
Aquecendo outra paixão
Seu Doutor, os sentimentos
São males do coração

Para, pará, paruê...

Vídeo incorreto?