Eu me vejo aqui em mais uma noite em claro.
E me pergunto por que meu tempo no seu tempo parou.
Então cai em si e vi que não era fácil.
Amargar o próprio veneno que se plantou.
Me faço refaço luto sempre contra isso.
Difícil admitir que isto hoje é um vicio.
Que alucina e domina toda minha mente.
Que deixar assim um completo dependente.

Acredito que ainda posso mudar.
Por todas vezes que eu refleti.
Também por tudo que hoje eu fiz.
Pra poder chegar aqui.

Por toda minha vida, assim vai na mesma linha.
Viver sonhos pelos sonhos independem nessa vida.
A logia da psique em ciência vem comigo
Antes cedo nunca tarde eu revelo o sacrifício.

Não vá dizer que eu não sou capaz.
Se uma parte de mim não lhe satisfaz.
Não vá dizer que não fui eu quem quis.
Fazer de meias verdades o meu caminho pro fim.

Após meu desabafo pouca coisa muda.
Continuo independente ainda nesta luta.
Me ferindo a cada golpe que é lançado.
Traído jogado, sou castigado.
No final desta batalha saio morto ou louco.
Sem saber se ganhei muito ou pouco.
Que a cada traço neste quadro se altera a paisagem.
Já não sei o que é real, talvez seja miragem.

Acredito que ainda posso mudar.
Por todas vezes que eu refleti.
Também por tudo que hoje eu fiz.
Pra poder chegar aqui.


Por toda minha vida, assim vai na mesma linha.
Viver sonhos pelos sonhos independem nessa vida.
A logia da psique em ciência vem comigo
Antes cedo nunca tarde eu revelo o sacrifício.
Do oficio sempre faço meu orgulho pessoal.
Com razão do meu sentido é liberdade racional.
Obrigado pela força, oh destino generoso
A revolta aqui gerada num caminho perigoso.

Não vá dizer que eu não sou capaz.
Se uma parte de mim não lhe satisfaz.
Não vá dizer que não fui eu quem quis.

Vídeo incorreto?