Us minerim, aqui faz arte, por toda parte que vai
Se Minas é o assunto, nóis tamo junto uai
Então vai, que eu vô, demorô, vamo que vamo
Representar sô, o Hip Hop do Triângulo
Com identidade, sempre mantendo o sotaque
O dialeto do R puxado, não pode perder o destaque
O ataque é caipira pira pora nossa
Com estilo interiorano urbano que vem da roça
Pronto pra dá o desconto nos tonto das capitais
Que canta com a garganta e se acha os maiorais
Nú! o trem tá doido, mas bão aqui não tá nada
A não ser esses mc dessa fazenda iluminada
Opa! nóis é memo, mas ninguém dá uma força
Tudo que a gente lança, nóis assumimos a responsa
E os amigo da onça, pelas costas falam mal
Na rádio, na internet e se der até no jornal
Eu cuido do meu quintal, não do terreno do vizinho
Já caminhei por latifúndios, mas prefiro o meu cantinho
O meu lugar predileto, é repleto de criança
Ficar lá em Uberaba e se chama Vila Esperança
Ei tio! Lá no interior do meu Brasil
Arraial da Farinha Podre, de rap não tá vazio
Até transborda pelas borda e aborda toda esfera
É por isso que eu digo: É de Minas pro mundo e já era!

Vídeo incorreto?