Na casa que onde ela mora, ao lado do seu portão
Eu escrevi o meu nome dentro de um coração
Expressei meus sentimentos
A que passa por aqui vai saber que já tem dono
O amor que mora ali

É um anjo loiro dos cabelos cacheados
Um metro setenta e cinco, o meu pedaço de pecado
É uma paixão que rasga o peito pelo avesso
Trinta e cinco de cintura, cem por cento que eu conheço

Ai! Esse amor me mata
A saudade dói, solidão corrói
A paixão maltrata

Ai! Entrou no meu peito
Feito um passarinho que fez um ninho
Não tem mais jeito

Ai! Esse amor me mata
A saudade dói, solidão corrói
A paixão maltrata

Ai! Entrou no meu peito
Feito um passarinho que fez um ninho
Não tem mais jeito

Eu sou do tipo que ainda sai na madrugada
Mas não trai a sua amada num momento de ilusão
E no amor eu sou do tipo de homem
Que ainda perde a fome quando sofre de paixão

Eu sou do tipo que se diz fora de moda
Mas isso não me incomoda quando se sabe o que quer
Eu sou do tipo que ainda escreve poesia
E faz amor todo dia sempre com a mesma mulher

Eu sou um dos últimos dos apaixonados
Do tipo que ainda faz serenata prum grande amor
Se o romantismo ficou no passado
Posso ser careta, ser antiquado, ser o que for

Eu sou um dos últimos dos apaixonados
Em cada mil existe um igual a mim
Pode até falar quem quiser que eu sou quadrado
Mas quando eu me entrego
Numa paixão sou mesmo assim

Pode até falar quem quiser que eu sou quadrado
Mas quando eu me entrego
Numa paixão sou mesmo assim

Vídeo incorreto?