Bugre perdido na luz de neon
herói de vídeo game, fera mineral
armo a garganta e acendo o tambor
guerreando no som também se faz amor
espalha o medo que afia a coragem
que a carne tem um fraco pela dor
a hora vai chegar os gelos descerão
e as trombetas tocarão
um tema vulgar, banal
couraça de pedra, peito de metal

quebro a maloca, queimo essa palha
brilho de letras que não dizem nada
pedra lascada, ser de Plutão
sou projeção futurista cro-magnon
pena de arara, olho de gavião
boto o batoque na boca de baton
me escondo na lama, armo a tocaia
sou jacaré de sapato e de saia
estou inteiro, estou exato
com a teimosia do porco do mato
e o que se vê não é de sapé
e o que me vale é a alma de macaco
seios de índia, tez de cunhã
gero o alento e a luz do amanhã

Bugre perdido na luz de neon
herói de vídeo game fera mineral
armo a garganta e acendo o tambor
guerreando no som também se faz amor
espalha o medo que afia a coragem
que a carne tem um fraco pela dor
couraça de pedro peito de metal
Bugre caçador na selva universal

Vídeo incorreto?