Setembro me fez perder
A rima da poesia
Tirou o brilho dos versos
Que eu escrevia

A chuva me traz saudade
O vento sopra lembranças
A lua clareia o chão
Acendendo a esperança

Desate o laço da minha saudade
Deixe meu riso caminhar direito
Quero tomar um chá de esperança
Tirar de vez a dor que dói no peito

Sinto saudade da chuva
De um riacho a correr
De uma estrela que deixa
Pelas paredes descer
O seu brilho amarelado
Escorrer entre o telhado
Antes do amanhecer.

Vídeo incorreto?