Naquela escura e fria madrugada
Não sei a pedra que me ouviu subir
Guardou em sua entranha amalgamada
Imagem, cheiro ou cor do que eu senti

Naquela fria e triste noite escura
Não sei se a pedra que me viu passar
Guardou em sua entranha antiga e dura
O que de mim nem eu senti deixar

Pedra de fogo

Cruzei diversas ruas noite adentro
Sem ver que pertencia ali também
Talvez nas redondezas do meu centro
Só enxergasse a mim e a mais ninguém

Na amanhecença súbita do dia
Pedaços de lembrança colorida
Quem quase não lembrava, renascia
Suspenso pela alma retorcida

Pedra de fogo

Se despediu a escura madrugada
Também parti sem suspeitar jamais
Que eu conhecia a face retocada
Nas marcas que deixei tempos atrás

Pedra de fogo

Vídeo incorreto?