Há vários tipos de tipos, vários estilos de gajos
Vários casos, alguns raros, mas em números escassos
A maior parte dirige-se a largos passos para a banalidade
A maior parte alinha pela mentira ou uma falsa verdade
Escamoteiam e camuflam, alteram enquanto acusam
E julgam e insultam, mas são só eles que se sujam
Há gajos que intrujam e traem aqueles que os ajudam
Negam como judas e queimam os que por isso os desculpam
Há gajos imberbes ou simplesmente ignorantes
Intectuais irritantes com questões impertinentes
Há musicos -politicos- jornalistas o q q quer q seja
A profissao n lhes da ponta de caracter q se veja
-Nem há cursos q formem a personalidade-
Opurtunistas d'algibeira pavoneiam-se pela cidade
Revisionistas do tempo actual ajustam esta historia
Mas na realidade nunca nos apagam da memoria

Refrão:
Há gajos q querem ser famosos outros perigosos
Há gajos q querem ser conhecidos como tinhosos
Há gajos q gostavam de ser vistos bondosos
São valores distorcidos do q falamos porque vemos q

Há gajos que se imaginam a valer mais do que valem
São os que ninguém ouve, seja lá do que for que falem
E não tendo sido abençoados com o talento nato
De sentir, insultam-nos com investidas no abstracto
Parece um teatro! Tanta pose à frente dos palcos
Não sei como ainda não há mimos a mandar rimas nos semáforos
Há gajos sem escrúpulos, sujos, feios, porcos e maus
E os armados em bons, são os que rentabilizam o caos
Há gajos sem escrupulos amostras d'homunculos
Autenticos furunculos de fama e com sonhos
De virem a tar um dia prestes a rebentar ao sol
Seria ouro sobre azul a esfolar o coiro para ser cool
Sem noção da sua figura surreal
Tentam a sorte mas acabam por perder o norte
E é a morte do artista com o oasis à vista do forte
É o deserto de ideias meu amigo nem penses em telas
(Shht) limita-te a seguir o rebanho pelas aldeias

Há gajos como carraças, parasitas nojentos
Identificá-los-ás pelos hálitos pestilentos
Espalham a peste através de fluxos infectados
De versos podres de rancor e como eles, limitados
Há coisas do diabo e eu já as vi nos vossos olhos
O ódio condiciona as opções dos invejosos
Há gajos que sentem e é por esses que me apresento aqui
Os que se identificam com os valores que represento enquanto mc.
Há gajos q julgam q é tudo uma brincadeira
De vaidades uma feira de verdades uma pasmaceira
Bem até é depende do ponto de vista isto é
Sobre quem essa afirmação mais concretamente é ou
Não tou aqui para enganar-vos fazer-vos passar por parvos
Para isso já temos tantos a retorcer os factos
A pedido de audiencias -suas exelencias meus senhores-
Com valores distorcidos do q falamos porque vemos q...

Refrão:
Há gajos q querem ser famosos outros perigosos
Há gajos q querem ser conhecidos como tinhosos
Há gajos q gostavam de ser vistos bondosos
São valores distorcidos do q falamos porque vemos q

Vídeo incorreto?