Mixtape mundo assasino
Para as ruas chove mais um hino
Genuíno, lírico-extermínio
De cabeças ocas no domínio
Meu mano executante exímio
Amor à arte zero no patrocínio
Djs do bling, carreiras em declínio
Básicos de raciocínio
Frustrados tentam fazer sombra
E no mar alto abafar a bomba
Mas a sonda não detecta os 30 e tal metros desta onda
Que antevêem forte destruição
Extinção de zonas contaminadas
Expostas à radiação da ignorância de mentes dementes esteriotipadas
Verso meu é obra de museu
Levanto o véu escuro como breu
Ressurreição no terceiro dia
Na utopia de que o hip hop faleceu, eu
Reinvento-me de outra forma
Da margem contrária à norma
Muitos artistas deviam ir à junta médica
E pedir antecipadamente a reforma
Um abraço a todos os reais
Arquitectos de versos e instrumentais
Djs que destroem mesas e pratos
B-boys no anonimato e artistas de morais
Colectivos nacionais e internacionais
Vítimas de rusgas policiais
Eles batem-te como animais imunes a leis governamentais
Se não tens papeis na emboscada
Dá direito a carrinha e esquadra
Numa semana conseguem que uma família inteira venha a ser deportada
E tu vens-me falar sobre quem vendeu mais discos ou quem tem
Mais vídeos, marcas e estilos..puto tas maluco e não tas a ver bem
Trago metáforas de longo alcance, há pouco quem dance
É o lírico trance e todo aquele que avance, aqui não há quem se canse
Vives de relance, groupies e romance
Mas aqui a luta é bem diferente, alojo-me no teu subconsciente
Multiplico imagens do real, esse teu filme é insólito e bastante deprimente
Somos independente e irreverente, indiferente a orçamento insuficiente
Com conteúdo transcendente, fazemos manos viajar no tempo anos luz à frente
Como a cena mudou..de mensagem a entretenimento e flow
Tempestade de conhecimento em cabeças ocas onde já há muito tudo o vento levou

Mano se queres ser dj inteira-te na situação
Turista de mala de cds não é solução
Isto é corte de precisão como circuncisão
Djs da moda é tipo trânsito na circunvalação

Hey mano anda tudo ao cheiro
Sentir na mão o poder do dinheiro
Continuo na descontra em velocidade de cruzeiro
O meu som bate na cabeça, não no cagueiro
E vamos lá pôr os pontos nos is
Neste país conto pelos dedos os bons mc´s
Heróis da moda para mim são fantoches
Toma um conselho puto foge enquanto podes
E aproveita e leva essas pitas contigo,
Ocas de mais e não percebem o que digo
Sou gajo na boa, sempre descontraído
Se entornas o caldo, tá tudo fodido
Não perco tempo com tangas e bujigangas
Sou cru e direto sem truques nas mangas
Já te disse o que dou todos os dias
O meu rap não é televisão nem fotografias
Pareces as tias da baía de cascais
Não dizes nada e apareces de mais
Pões um nível invulgar como um toque polifónico
Varremos a zona como um vento ciclónico
10 milhões aguardam o desfecho
Com essa cara de mau ainda deslocas o queixo
Viciado em assédio, trago-te o remédio
Vigésimo andar do topo de um prédio

Mano se queres ser dj inteira-te na situação
Turista de mala de cds não é solução
Isto é corte de precisão como circuncisão
Djs da moda é tipo trânsito na circunvalação

Vídeo incorreto?