Quando não tenho mais pra aonde ir
Posso ver uma luz lá no fim
Não me julgue por não ser igual

No chão tipo cão vadio, coração vazio
E são crença e contradição
O suor de quem levanta cedo e vai
A dor de quem te causa medo e mais,
Mais violento como o nascer do sol de agora
Perdido como a bala que vara a sala e piora tudo
Cai o mundo finda o bem, louco né?
Aí quem vive no inferno reza pra quem?

Mas posso ver uma luz lá no fim

No meio de toda escuridão
Confuso buscando uma direção, a saída do labirinto

Não me julgue por não ser igual

Longe da sua condenação, da praga que corrói a nação
Eu preciso dar voz ao que eu sinto

Eu só rezo pra ficar bem, eu sei que vai
Acredito que vai ficar tudo bem
Só rezo pra ficar bem, eu sei que vai
Acredito que vai ficar tudo bem

Talibã latino, menino bomba sem destino
Feio, franzino do espírito murcho
De onde ter pai é luxo
Nesse episódio
Cultivam a tristeza que vira ódio
Nas telas não, mas elas vão
Tornando favelas fazendas de depressão
Abre a aglomeração, tumulto, lamento
Descompromisso, não é tese não
Eu nasci disso

Mas posso ver uma luz lá no fim

No meio de toda escuridão
Confuso buscando uma direção, a saída do labirinto

Não me julgue por não ser igual

Longe da sua condenação, da praga que corrói a nação
Eu preciso dar voz ao que eu sinto

Eu só rezo pra ficar bem, eu sei que vai
Acredito que vai ficar tudo bem
Só rezo pra ficar bem, eu sei que vai
Acredito que vai ficar tudo bem

[Rap]

Só quero ser o que eu sou
Só quero não ter que mentir

Venha de onde vier, tanto faz
Eu só quero encontrar a minha paz

Só quero ser o que eu sou
Só quero não ter que mentir
Pois ainda não encontrei, ainda não encontrei

Fé em Deus...
A rua é nóis mano...
Paz!

Vídeo incorreto?