Um sonho... um sonho...

Um brinde com taça de vinho
Cheiro de asfalto no sangue
Um atalho com fuzil no caminho
No cardápio bitterusso champagne

Um atalho com fuzil no caminho
No cardápio bitterusso champagne

Cordão de fé tirado do peito
E uma luz no fim do presídio
Mas um buraco cavado às pressas
Pra aliviar o suplício

A esperança no orifício, na revolução
Quanto mais tiram de nós, lá dentro corrupção

Os atentados civis viram showmícios
Dos que nunca estão no controle
Dos que nunca estão no controle
E vão crescendo os vícios (4x)

Caindo por terra, caindo por terra (pela batalha)
Caindo por terra, caindo por terra (pelo discurso)
Sofrimento pra alguns é ser feliz
Pra quem nunca teve nada, um sonho é tudo que quis.

Vídeo incorreto?