Fui pra cidade do Rio de Janeiro,
Trabalhei o ano inteiro
e fiz até serão,
A vida do Paraíba não é brincadeira,
De servente de pedreiro pra ganhar o pão.

Fiz economia,
Deixei de fumar,
Comprei um rádio de pilha
e mandei pro meu bem
Fiquei muito revoltado quando regressei,
O Rádio que eu dei pra ela, ela doou pra alguém.

"Amigo, todo homem traído
tem sua parcela de culpa, desculpa!
O modo como a tratava, o beijo que não lhe dava
São parcela da sua culpa

Se lembrou de outros amores
Se não lhe ofereceu flores
São parcela da sua culpa

Talvez, a culpa maior seja do seu coração
Que mesmo sem intenção só de ver mais forte bate
em meio a multidão, escolhe com precisão
Vagabunda, puta e biscate"

Sou Trabalhador,
Mas não gosto de deboche com a minha cara
Não vou enfeitar boneca pros outros brincar
Ninguém vai pintar o sete com esse pau de Arara
Eu não tolero tanto desaforo,
Tem mulher que so aprende quando o coro desce
Pra gente ficar no empate eu vou lhe dar uma sova,
pois o rádio que eu comprei todo mundo já conhece.

(Refrão 2x)
Ela deu o Rádio.
Ela deu o rádio e nem me disse nada ela deu o rádio.
Ela deu sim, só pra fazer pirraça
Ela deu de graça.
o rádio que eu comprei e lhe presenteei.

Vídeo incorreto?