Eta, alma, buraco sem fundo
Que se vive tentando preencher
Com deuses, com terapia
Cartão de crédito, academia

Um trago, carros velozes
Carinhos fugazes, manhãs atrozes
Em incríveis e intermináveis noites
Da mais besta e vã alegria

E é sempre essa boca aberta
Tragando tudo pelo caminho

De tudo o que se aproveita
De tudo, só quero o agora
Amanhã, acordo e resmungo
"Eu quero minha vida de volta"

Eta, alma, buraco sem fundo
Que se vive tentando preencher
Com corpos, com copos, com credos
Amigos ternos, amores cegos

Com beleza ou poesia
Aquela penumbra que anuncia o dia
E faz o ontem deixar de ser

E é sempre essa boca aberta
Tragando tudo pelo caminho

De tudo o que se aproveita
De tudo, só quero o agora
Amanhã, acordo e resmungo
"Eu quero minha vida de volta"

De tudo o que se aproveita
De tudo, só quero o agora
Amanhã, acordo e resmungo
"Eu quero minha vida de volta"

E é sempre essa boca aberta
Tragando tudo pelo caminho

Vídeo incorreto?