Talvez eu nunca compreenda os seus motivos
Por mais que você passe a vida tentando explicar
Você nunca aceitará os meus conflitos pessoais
Por mais a vida toda passe e te prove ao contrário

Tenho os meus motivos pra deixar de ser sincera
Tenho tantas explicações pra cada escolha diferente
Tenho os meus motivos pra deixar pra lá, pra ser sincera
E você nunca percebeu...

Talvez eu nunca compreenda os seus motivos
Por mais que você passe a vida tentando explicar
Você nunca aceitará os meus conflitos pessoais
Por mais a vida toda passe e te prove ao contrário

Tenho os meus motivos pra deixar de ser sincera
Tenho tantas explicações pra cada escolha diferente
Tenho os meus motivos pra deixar pra lá, pra ser sincera
E você nunca percebeu...

(Lembro de quando me ensinava às coisas
Quando deitados observávamos o eclipse com mascaras de solda,
Dos parabéns de manha cedo,
Era o que eu mais gostava, sem saber...
De quando eu não ligava pra perguntar como vai,
Esperando no fundo que eu fizesse...
O quanto eu não sei demonstrar, o quanto não sabe demonstrar...
De quando eu chorei igual criança ou bêbado pensando que podia ser diferente
Quando saiamos juntos, quando me contava as coisas,
De quando eu esqueci o seu aniversário, de quando víamos filmes
De como não temos fotos,
De como não conversamos sobre garotas,
De como fazemos pactos silenciosos sempre de NUNCA).

Mesmo que espere isso acontecer...
Nada vai mudar...
Mesmo que espere isso acontecer...
Nada vai mudar...

Vídeo incorreto?