São as luzes dos teus olhos
Que brilham todo horizonte
Basto firme no lombilho
Onde eu me afirmo
Quando as rodadas da vida
Quando a solidão mete focinho
E a saudade entrometida
Vem habitar o rancho desse ser vivente
Enegrecendo o brio da vida
Então me aprumo a galope
Banco essa mal costada
Transformo a escuridão
Que estava em mim
Em luz pra toda caminhada

São as luzes dos teus olhos
Que do céu me faz mirada
Andaria sem partida nem chegada
Sem tua mão, tua palavra

Estraviado não sou eu
Te encontrei em meu caminho
Quando eu galopeava um desbocado
Me paleteou com teu tordilho
Atirei cabresto pra ti
Quando te vi madrinheiro
E tu sorrindo pois em meu coração
Grandes sinais meu companheiro

São as luzes dos teus olhos
Que do céu me faz mirada
Andaria sem partida nem chegada
Sem tua mão, tua palavra

Vídeo incorreto?