Um jeito meigo de olhar,
Um modo simples de falar,
Cada marca no seu rosto
Conta a sua vida.
Ninguém conhece o seu sofrer,
Seus sonhos,
Segredos,
Seus medos,
Desejos e fé.

Oh deus escute essa oração,
A voz cabocla do sertão,
Com nomes diferentes
Contam histórias parecidas,
E vão seguindo a procissão,
Marias,
Teresas,
Joanas,
Raimundos,
Josés.

Quando a natureza chora,
Ao ouvir a sua prece,
A tristeza vai embora
E ele agradece.

Pela vida, pelo grão,
Pela chuva nesse chão,
Que no toque dessas mãos,
Florece.

Oh deus escute esta oração,
Da voz cabocla do sertão,
Com nomes diferentes
Contam histórias parecidas,
E vão seguindo a procissão,
Marias,
Teresas,
Joanas,
Raimundos,
Josés.

Quando a natureza chora,
Ao ouvir a sua prece,
A tristeza vai embora
E ele agradece.

Pela vida, pelo grão,
Pela chuva nesse chão,
Que no toque dessas mãos,
Florece.

Quando a natureza chora,
Ao ouvir a sua prece,
A tristeza vai embora
E ele agradece.

Pela vida, pelo grão,
Pela chuva nesse chão,
Que no toque dessas mãos,
Florece.

Vídeo incorreto?