Um tom e alguém sequer
Precisa me conhecer
Uma pausa que me convence
O sussurro arebata o suspense
Respiro ofegante
É cansaço
Mudei muito no tempo esparso

Vaga do mar até que espuma
Silêncio distante do motor da escuna
Óleo na pele, olhos na praia
Olhar no horizonte e na barra da saia

Um louco, essa mulher
Não querem mais saber
Uma noite que não preenche
O grito áspero range e desmancha
Esquecida no brilho do aço
E na palha a textura desse laço

Nada mais que o músculo retém
Faz resistir, é rude ou suave
E modula e repousa e esquece
O tom e alguém sequer me conhece...

Vídeo incorreto?