Da onde você vem?
O que você tem?
Quanta grana tem no bolso para bancar esse modelo de amor?
Esqueça o quanto vale a garrafa que carrega o licor.
Difícil entender, mas o mundo é uma vitrine
Não importa o lugar que eu for,deve ter algo além.
Nada disso me convence, olhares atraentes
Parecem não passar de ilusão.
Mesmo assim a minha mente se torna tão ausente,
Não sabe distinguir o real.
As perguntas de sempre, respostas e frases,
De todos, vocês sabem.
Se a morte for o portal, se aqui não for o final,
Valia apena morrer jovem.
Pois muitos me odeiam, tentam mas não me freiam,
Prossigo e os pensamentos rodeiam por todo o mundo.
E esse sensação de poder sobrar matéria,
Me faz tornar eterno o segundo.
Me mostre um pouco de amor, só tenho as marcas
E todas cicatrizes que o mundo deixo.
Só ouço mentira despertando minha ira e todo esse rancor.
Não me venha com promessas o futuro é incerto para todos.
Não me faça promessas desta vez
Sei as malicias do jogo que você criou.
Da onde você vem?
O que você tem?
Quanta grana tem no bolso para bancar esse modelo de amor?

Me mostre um pouco de amor, por aqui ele anda ausente.
Não vejo o brilho dos olhos, só vejo brilhar as correntes.
Poucas ideias meu mano, pouco abraços e contato.
O amor? Segundo plano, o que vale mais é o status.
Resiste a fome, resiste a cede.
Mais é só um detalhe, eles querem um rolê de mercedes.
Vários odeiam minha cor, mais o detalhe da treta,
Vão adorar minha cor se eu estiver com uma grana preta.
Me mostre um pouco de amor.
O amor esteve a onde? Será que perdi minha visão?
Tipo steve wonder? Tudo gira ao redor dos refrão.
Tudo fica difícil sem grana.
Bolso cheio e coração vazio fazendo aquilo que não ama.
Não me venha com promessas, respeito
Raramente é o que vem na remessa.
Eu tô correndo para me fortalecer,
Enquanto isso vou esperar que você me mostre um pouco de amor

Vídeo incorreto?