Eu conheci um caboclo
de profissão violeiro
Meu amigo quase quase irmão
De um porte altaneiro
Tocava viola e cantava
Por esse Brasil inteiro
Preferia ser o último
Mas sempre fui o primeiro
Do pagode sertanejo
Ele foi o criador
No braço de uma viola
Foi o professor
Foi o alvo predileto
De violeiro imitador
A nossa moda de raiz
Foi esse herói que salvou
Por todos bons violeiros
Sempre foi admirado
Dos seus admiradores
Esse Herói foi consagrado
Dono da simplicidade
Um artista respeitado
Eu até perdi a conta
Dos discos que tem gravado
Nesta minha homenagem
Dispensei o exagero
Apenas disse a verdade
De um perfil por inteiro
Usei a sinceridade
Pra falar de um companheiro
Descanse na eternidade
Amigo tão carreiro

Vídeo incorreto?