Num ranchinho ao pé da serra
Numa tarde de verão
Eu vi uma camponesa
Socando arroz no pilão

Seu corpinho de boneca
E o seu rostinho perfeito
Despertou mil sentimentos
Que morto estava em meu peito

Soca pilão, soca pilão
Acompanhe as batidas do meu pobre coração
Soca pilão, soca pilão
Acompanhe as batidas do meu pobre coração

Aproximei da mocinha
E pedi com muito jeito
Morena da de beber
A quem tem sede no peito

Depressa me atendeu
Trazendo-me água fria
Por mais que dela eu tomasse
Mais sede o meu ser sentia

Soca pilão, soca pilão
Acompanhe as batidas do meu pobre coração
Soca pilão, soca pilão
Acompanhe as batidas do meu pobre coração

Quando me despedi
Da moça que ali estava
Vou todo pelo caminho
Seus olhos acompanhavam

Olhando pra trás eu vi
Que ela não descamsava
Com uma mão no pilão
Com a outra me acenava

Soca pilão, soca pilão
Acompanhe as batidas do meu pobre coração
Soca pilão, soca pilão
Acompanhe as batidas do meu pobre coração

Vídeo incorreto?